Há pessoas nocivas no seu condomínio?

Publicado em 01/02/2021 - Editado em 01/02/2021 | Comentarios > ver comentários

Como lidamos com pessoas o tempo todo é muito provável que conviva ou conheça entre elas as que apresentam características e comportamentos nocivos. Seja no seu trabalho, em eventos, na própria família, e, com toda certeza, nos condomínios. Alguns especialistas comportamentais definem essas pessoas como aquelas que com sua toxidade exalam e contaminam o ambiente social com algum tipo de sentimento ou característica ruim que pode afetar sobremaneira os demais. São os chamados portadores do vírus da discórdia e maledicência.

A única forma de conviver com essas pessoas é limitar seu campo de ação na comunidade, guardando distância e se imunizando contra os seus pensamentos. Em situações críticas o recomendável é cortar os laços de vizinhança como medida de proteção. É uma pena que determinadas pessoas não carreguem de forma visível os traços que as distinguem, levando um tempo para o seu reconhecimento. Porque assim facilitaria desde o princípio precaver-se contra seus comportamentos e vícios morais.

Há inúmeros relatos de síndicos, conselheiros, moradores e funcionários a respeito da dificuldade em gerir os assuntos administrativos diante da perspectiva do confronto com essas pessoas. Os fóruns de mediação e conciliação não estão, por si só, dando conta da demanda de tantas ocorrências, levando os condomínios a buscarem profissionais gabaritados, seja um síndico profissional ou mesmo uma administradora com expertise para auxiliar nessa difícil tarefa.

Sendo assim, vamos apontar alguns traços que evidenciam as características para fácil identificação dentro do seu condomínio.

Os arrogantes são aqueles que sempre sabem mais e se sentem superiores aos outros. Nunca irão reconhecer o trabalho feito, porque isso interfere em sua própria arrogância. Jamais terão uma palavra ou um único gesto na direção do consenso. Chegam ao ponto de não aprovar nada no condomínio com o firme propósito de atacar a gestão da qual não consegue se inserir ou ao menos aceitar. Criam dificuldades o tempo todo, inclusive em redes sócias e grupos de WhatsApp.

 

As vítimas são as piores pessoas que você pode encontrar no seu condomínio ou na sua própria vida. Elas olham para seus próprios erros e equívocos, mas imediatamente encontram alguém para culpar. Elas nunca se responsabilizam pelos próprios atos. Se sentem difamadas, atacadas em sua honra quando na verdade estão de forma injusta apontando o dedo para o outro. Não possuem empatia.

 

As controladoras sabem tudo e a melhor forma de fazer qualquer coisa, manipulam com extrema habilidade os outros para atingir os seus propósitos. Mas basta uma análise mais minuciosa para descobrir que no fundo são pessoas extremamente inseguras. O grande problema é que enquanto você estiver rodeada por elas, você nunca terá chance de dar sua opinião ou ser escutado.

 

As invejosas nunca estão felizes com o que têm e a sua posição dentro do condomínio. Incapazes de ficarem felizes pelas boas coisas que acontecem na gestão, mesmo trazendo melhorias e valorização para o patrimônio individual e coletivo. Elas acreditam que se alguma coisa benéfica tiver que acontecer, deve sair das suas interferências e opiniões.

 

As mentirosas são perigosas porque você e os demais condôminos nunca saberão no que acreditar. Você não poderá contar com as promessas delas ou suas palavras. Mentem para você e o grupo condominial. E o que é pior. Sem consequência nenhuma.

 

As negativas são aquelas de fácil identificação. Vivem irritadas, com enorme ressentimento e desconfiadas de tudo. Seu objetivo é destruir para ter razão, e conviver com elas dá a sensação de que estão sugando nossas energias.

 

As gananciosas fazem parte da nossa cultura. São aquelas pessoas que sempre querem mais, alcançar maiores objetivos e faturar sempre. Quer tudo e exclusivamente para si ou para seu grupo. Essas pessoas com esse traço em sua personalidade normalmente se unem às mentirosas e às invejosas, pois há química em seus propósitos.

 

As que julgam são aquelas sem nenhum critério, sem nenhuma fundamentação. Apenas o fazem para denegrir a imagem e afetar a reputação objetiva e subjetiva do outro. No caso do condomínio, o alvo principal é o síndico. Julgam rapidamente e espalham conclusões normamente incorretas e sem nenhuma prova. São péssimas ouvintes e se comunicam muito mal.

 

As fofoqueiras pegam carona em qualquer fato e saem fazendo especulações fora da realidade. Profundamente inseguras, encontram na fofoca o seu abrigo ideal. A nocividade da fofoca é altamente destruidora.

 

Os sem caráter são pessoas desprovidas de integridade ou honestidade. Trair seja quem for e manipular faz parte das suas rotinas dentro do condomínio e na sociedade. Agem sem qualquer escrúpulo e não há nada que não possam fazer desde que atinjam os seus objetivos.

 

Mas não fique desanimado(a) diante de tantos perfis nocivos. Faz parte do nosso aprimoramento e desafio. Não esqueça que estamos todos no mesmo barco lidando com nossas imperfeições e limitações tanto quanto dos outros. O melhor a fazer é estar preparado(a) para enfrentar as situações que surgirem em seu condomínio.

Stephen R. Covey em seu livro O 8* Hábito Da Eficácia à Grandeza diz: “Trabalhar bem com outras pessoas torna nossos conhecimentos e habilidades produtivos e exige a criação de uma equipe complementar de pessoas com conhecimentos e habilidades capazes de compensar nossa ignorância e nossas fraquezas individuais e torná-las irrelevantes.”

 

“A educação é uma descoberta progressiva de nossa própria ignorância.” Will Durant.

 

Comentários


O que outros visitantes estão vendo agora

O que outros visitantes estão vendo agora

Menu