Cuidado com a inspeção predial – parte 2

Este texto é uma continuação do:  Cuidado com a inspeção predial – parte 1 . Se você ainda não o leu, recomendamos que comece por ele. Boa leitura. Equipe RS Condomínios.

 

Para o síndico que entendeu a importância da inspeção predial de acordo com a NBR 16747:2020, é hora de aprofundar a discussão abordando os objetivos e etapas a serem cumpridos. O síndico deve estar preparado para utilizar os parâmetros da norma para realizar a escolha do profissional que irá fazer a inspeção predial, levando em consideração as características do seu condomínio.

Na primeira fase, seria recomendado que o síndico discutisse a implantação da inspeção periódica a ser realizada pelo próprio zelador. E a depender da estrutura do condomínio que tenha outros colaboradores contratados, que os mesmos participem dessa inspeção sob a supervisão da zeladoria.

Alguns empreendimentos de grande porte costumam contratar equipes de manutenção para cuidar das áreas comuns e equipamentos instalados como quadras poliesportivas, saunas, academias de ginástica, aparelhos de lazer e outros.

O período destinado à inspeção depende do grau de uso e desgaste de peças que possam comprometer o pleno funcionamento ou mesmo colocar em risco os usuários. É usual os condomínios contratarem empresas especializadas para promoverem mensalmente a inspeção e manutenção preventiva e corretiva dos equipamentos essenciais como elevadores, bombas de recalque de água, portões automáticos de autos e pedestres, para-raios, interfones, antenas coletivas e outros.

De todo modo, o síndico atento, deve promover a inspeção predial através de perito habilitado, que seguindo a norma, irá gerar um laudo técnico que servirá de base e guia para a gestão administrativa implantar a manutenção do condomínio.

Que fique bem claro para o síndico que a inspeção predial deve ser realizada por profissionais habilitados e com registro em vigor nos órgãos competentes como o Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura – CREA. Ou o Conselho de Arquitetura e Urbanismo – CAU.

O síndico antes da contratação deve analisar o currículo do profissional para verificar se possui capacidade para realizar a inspeção predial, se possui experiência sobre anomalias que ocorrem na construção de edificações.

É aconselhável solicitar Anotações de Responsabilidade Técnica – ART’s; os Registros de Responsabilidade Técnica – RRT’s; obter referências de outros clientes que contrataram os serviços dos profissionais; e certidões emitidas pelos Conselhos de classe.

Os condôminos devem procurar desde a entrega do empreendimento, com a primeira gestão eleita, fechar questão sobre a importância de realizar periodicamente a inspeção predial. Pois assim, o condomínio consegue manter o estado de conservação geral, não tendo dor de cabeça com problemas que podem surgir, muitas vezes envolvendo custos elevados para sanar os defeitos encontrados.

Mas há um prazo ou periodicidade para realizar a inspeção predial? Não. O que pode definir esse prazo é a idade da edificação. A sugestão de especialistas é: Inspeções a cada três anos no caso de edificações com até 10 anos. A cada dois anos para construções de 10 a 20 anos. E anualmente para edificações acima de 20 anos.

A inspeção além de indicar ao síndico a situação da construção, serve como referência para definir a periodicidade necessária da verificação levando em consideração o estado de conservação. O laudo técnico apontará as recomendações para preservação ou restauração de acordo com o grau de urgência definido no item 5.3.7 da NBR 16747:2020.

Com essas diretrizes em mãos, o síndico definirá com sua equipe um plano de manutenção e onde intervir nas anomalias e falhas detectadas; e até mesmo se há necessidade de contratar algum serviço especializado.

O condômino que investe uma importância considerável em um imóvel e no conforto esperado deverá ter a consciência que a preservação do seu bem também representa um investimento constante. Não deve ser um empecilho para a gestão do síndico indo contra as inspeções prediais necessárias, e se alinhando com os contra tudo. Se não há transparência nos gastos, cobre. Se os valores são exagerados, apresente opções. Mas esteja ao lado de todos que querem, como você, a contínua preservação do bem. Um sonho de todos.

 

Veja também: Cuidado com a inspeção predial – conclusão

 

Comentários


O que outros visitantes estão vendo agora

O que outros visitantes estão vendo agora

Menu